Assunção de Nossa Senhora

A celebração do domingo dia 18 de agosto foi marcada não somente pela festa da Assunção de Nossa Senhora, mas também pela acolhida e apresentação das crianças que receberão o sacramento do batismo no próximo sábado dia 24.

No colo dos pais as crianças foram até a igreja Bom Jesus, e a comunidade as acolheu desejando o que é de melhor que podemos entregar a elas, a . E recordando o encontro da catequese realizado na sexta-feira, tem uma frase do Papa Francisco que diz: “Ninguém merece o Batismo, que é sempre dom gratuito para todos”, quando batizamos uma criança entra nela o Espírito Santo, o mesmo Espírito Santo que exultou dentro do ventre de Isabel e a encheu de alegria, a mesma alegria que sentimos em trazer essas crianças para a igreja, para o altar e nós dizermos sim, nos comprometemos a viver a nossa fé.

Segundo palavras do pe. Mateus, o próximo passo agora é o do mergulho, pois o batismo não é um rito mágico, milagroso ele é um processo de vida, pois nós devemos viver todos os dias o mesmo vigor do dia em que fomos levados a pia batismal, afinal o batismo é um processo, ser batizado, ser cristão é todos os dias.

Comemoramos hoje também a festa da vocação da vida religiosa consagrada ao serviço do reino de Deus, e aqui nos alegramos pois a nossa sociedade carazinhense tem muitas pessoas que se dedicam na vida consagrada, a missão de levar Jesus ao mundo. Os consagrados tem oportunidade de fazer coisas que não imaginamos, estar em lugares que nem sonhamos, e lá estão os religiosos, lugares de missão, de fronteira, com pessoas, grupos, inseridos em comunidades, atuando junto a pessoas mais necessitadas, na formação. Os religiosos vão além fronteiras, a outros países, com um carisma que é muito atual. Enquanto muitos não fazem praticamente nada na sua vida vocacional, os religiosos expandem a luz de Cristo por onde passam.

Este domingo também tem reservada a festa da Assunção de Nossa Senhora, e o prefácio da oração eucarística nos traz a seguinte mensagem: Hoje, a Virgem Maria, mãe de Deus, foi elevada à glória do céu. Aurora e esplendor da Igreja triunfante, ela é consolo e esperança para o vosso povo ainda em caminho, pois preservastes da corrupção da morte aquela que gerou, de modo inefável, vosso próprio Filho feito homem, autor de toda a vida, é a teologia da festa de hoje.

Maria é levada ao céu, glorificada, por quê? Por que gerou de forma inefável e trouxe ao mundo o autor da vida, que colaborou com Deus, dizendo seu sim para o projeto de Deus. Também fala da aurora, por que aurora, Maria não é o sol, ela não é o centro, a festa de hoje tem como centro Jesus, aquele que ela gerou, a grandeza de Maria não se dá pelos seus méritos, mas por conta de Cristo.

Maria é o preceder, é a pontinha do que estar por vir, e quem está para vir é Cristo. O prefácio fala também que Maria é o consolo para o povo ainda a caminho. Ela cantou como todas as mulheres corajosas do povo de Deus; o cântico de Maria é também o canto de Ana que no livro de Samuel, Ana canta as maravilhas que Deus realizou em sua vida. E neste livro ela diz que Deus olhou para a humildade, que os humildes são os preferidos, pois eles adubam o mundo, por onde eles passam existe vida, alegria, entorno de uma pessoa humilde existe muita coisa boa. Agora porém uma pessoal orgulhosa, soberba, poderosa, gananciosa, existe apenas morte. Por trás de uma pessoa gananciosa não existe nada, porém atrás de uma pessoa humilde encontramos vitalidade. Por esta razão Deus olhou para a humilde serva Maria, Ele não foi em busca de uma rainha, uma princesa, uma palaciana, uma jovem importante, Ele contou com uma humilde jovem de Nazaré da Galileia.

Na carta aos Coríntios ouvimos que Maria gerou o autor da vida, e Jesus é o que morreu e ressuscitou, Ele não deixou sua mãe, Maria já contempla a glória “Por Cristo, com Cristo e em Cristo”. A glória de Maria assunta ao céu, não por ela mas por Cristo.

Sejamos aurora a apontar Jesus Cristo, os pais são aurora a apontar Cristo para seus filhos, a Igreja é aurora a apontar Cristo para os novos cristãos, não adianta dizermos que batizando eles se tornam cristãos, se dependesse apenas das palavras uma multidão de pessoas deveriam estar presentes na celebração, afinal de contas elas foram batizadas. O batismo necessita que pessoas apontem Cristo, assim como fez Maria, apontou Jesus.

Sejamos consolo e esperança para os que precisam, e muitos precisam de consolo e esperança por parte dos religiosos e cristão autênticos e verdadeiros, para um dia sermos glorificados e estarmos juntos de Deus na glória eterna.

Informações

Júlio César Rossoni

Nenhum Comentário

Deixe uma resposta