Dizimo: é missão de todos nós!

No início do ano muitas pessoas tem por hábito participar do dízimo na comunidade. Há algum tempo a Igreja vem trabalhando a perspectiva missionária do Dízimo, ou seja, não é pagamento de taxa ou de uma conta ou boleto que se tem para pagar, mas é uma responsabilidade da fé.

A Igreja, além de ser o corpo místico de Cristo e Povo de Deus (Lumen Gentium), ela é uma realidade inserida no mundo e, como tal, tem suas responsabilidades e obrigações. A primeira responsabilidade que cabe a nós é a evangelização, isto é, levar a Alegria do Evangelho para todas as criaturas (Mt 16). Todavia, outras obrigações fazem parte da comunidade eclesial como instituição como, por exemplo, a manutenção dos serviços essenciais (água, luz, telefone, internet, combustível), auxílio aos padres (côngrua), salário dos funcionários, taxas da prefeitura, etc.

Qual é a nossa responsabilidade com tudo isso? Não temos nada há ver? Essa é a questão que mais dói para a missão do dízimo, quando a responsabilidade com a comunidade não existe. E mais, quando as pessoas “pagam o dízimo” com um senso de culpa, senão o padre não vai me enterrar, ou como um senso de serviço religioso, pois preciso da catequese, preciso do batizado, preciso disto ou daquilo. É muito ruim quando as pessoas se referem a comunidade de fé com esta consciência.

Portanto, que neste ano, mesmo com todas as dificuldades financeiras que nosso povo tem vivido, pandemia, seca, entre outros problemas que assolam a vida econômica das famílias, tenhamos a responsabilidade evangelizadora com nossa Igreja. A missão do dízimo não é acumular fortunas em aplicações, mas manter o serviço essencial da evangelização como fidelidade a Jesus Cristo!

Informações

Paroquia Bom Jesus