Horários das Missas
Igreja Matriz Nosso Senhor Bom Jesus
Sábados – 18:00 horas

Domingos – 10:00 e 19:00 horas

Terças, quartas e quintas-feiras – 18:30 horas

Capelas:

São José Operário (Rua 15 de Novembro, 651 – Bairro Centro): No 1º e 3º sábado de cada mês, às 18:00 horas. 

Sagrado Coração de Jesus (Rua João Eduardo Kraemer, 487 – Bairro Sommer)No  1º e 3º domingo de cada mês, às 9:00 horas. 

Cristo Rei (Rua Eça de Queiros, 540 – Bairro Braganholo): No 1º e 3º domingo de cada mês, às 9:00 horas.

Santo Antônio (Rua Silveira Martins, 680 – Bairro Santo Antônio): No 2º e 4º domingo de cada mês, às 9:00 horas. 

Nossa Senhora Medianeira (Rua Eça de Queiros, 1665 – Bairro Medianeira): No 2º e 4º domingo de cada mês, às 9:00 horas.

 

As Vestes (Paramentos) e Objetos (Vasos) Litúrgicos

Para lidar com coisas santas e sagradas, são usados na celebração objetos, vestes e outros sinais que realçam e apontam a sacralidade daquilo que se celebra. As vestes, objetos e outros elementos não são “enfeites”, mas cada um traz um significado que está de acordo com a dignidade do momento sagrado que se celebra.

A variedade das vestes ou paramentos litúrgicos serve para manifestara diversidade dos ministérios (indicações hierárquicas) exercidos na liturgia. As vestes querem nos dar o sentido de revestir-se de Cristo, de sua autoridade, do seu serviço. O cristão, procura imitar o Cristo, seu divino modelo.

A beleza e a nobreza das vestes resulta do tecido e da forma; se houver ornatos, sejam figuras ou símbolos que indiquem o uso sagrado. As cores devem visar manifestar o caráter dos mistérios celebrados, conforme desenrolar do ano litúrgico.

TúnicaÉ a veste oficial do padre durante as celebrações que ele preside. A túnica é uma veste branca, embora possa ser de outras cores (dentro de um certo bom censo), a qual esconde a individualidade do sacerdote, para que nele se possa perceber o próprio Cristo que preside o Sacrifício. A túnica lembra que o sacerdote que foi, no batismo revestido de Cristo, se reveste agora simbolicamente do homem novo (para presidir o Sacrifício Eucarístico).

AlvaÉ uma veste branca como a túnica, porém é usada juntamente com a casula, vindo sob ela. A alva, juntamente com a casula, dá um caráter mais solene às celebrações.

Estola

É uma faixa vertical (para padre) ou diagonal (para diácono). A estola do padre pode ter duas faixas ou três. Ele a usa sobre os ombros com duas pontas caindo para frente. Ela simboliza o serviço sacerdotal que o padre realiza como ministro (servidor) de Cristo. Sua cor varia conforme a liturgia.

CasulaÉ uma veste mais solene que cobre tanto a alva como a estola. É a veste própria do padre (diácono não pode usá-la), não tem costura nos lados e é usada nas Missas dominicais e dias festivos. A cor varia conforma a liturgia.

DalmáticaÉ a veste própria do diácono. É colocada sobre a alva (túnica) e a estola. É utilizada na celebração da missa. Aberta dos lados, tem as mangas largas e curtas. A cor também varia de acordo com a liturgia.

HóstiaÉ o pão de trigo puro. Há uma hóstia maior usada pelo presidente da celebração e várias menores que são consagradas para a comunhão da assembléia. A hóstia grande é para ser vista de longe, na elevação (durante a consagração), e ser partida durante a oração do Cordeiro para ser comungada juntamente com as pequenas.

VinhoÉ vinho puro de uva. Normalmente é conhecido como “vinho canônico” por estar de acordo com as normas (cânon) da Igreja.

CáliceÉ uma taça revestida de ouro, prata ou outro material que os imite. Ele deve apontar para a excelência e grandiosidade do conteúdo que nele é oferecido.

PatenaÉ um pratinho de metal que acompanha o cálice, normalmente de material semelhante. Sobre ela é colocada a hóstia grande (e em alguns casos, também algumas pequenas).

ÂmbulaÉ um vasos que tem tampa e serve para conduzir ou guardar as hóstias a serem distribuídas para o povo. Algumas são ornamentadas e cobertas com um véu quando ficam com a reserva eucarística (hóstias consagradas que não foram comungadas durante a Missa), o véu aponta o respeito e a excelência do alimento sagrado que trazem dentro de si.

ÁguaÉ água natural. Serve para purificar as mão do sacerdote durante a cerimônia do lavabo e ser misturada no vinho, na preparação das oferendas, para simbolizar a humanidade que se une à divindade de Cristo (vinho). Também é usada na purificação do cálice e das âmbulas após a comunhão.

PalaÉ uma peça quadrada, dura, normalmente de linho engomado, que serve para cobrir o cálice, evitando que caia dentro dele alguma sujeira.

Sanguinho ou SanguineoÉ uma toalha pequena e branca que serve para enxugar o cálice no momento da purificação e retirar das âmbulas os fragmentos que lá ficaram após a comunhão e que são colocados no cálice.

CorporalToalha maior e quadrada. Chama-se deste modo porque sobre ele se coloca o Corpo e o Sangue do Senhor.

GaletasDuas pequenas jarras de vidro ou outo material. Uma tras a água e a outra o vinho. Elas estão sempre juntas, em um pratinho ou outro objeto na credência.

CredênciaPequena mesa que fica ao lado do altar, onde ficam depositados os objetos a serem usados durante a celebração.

ManustérgioPequena toalha que serve para enxugar as mãos do sacerdote e dos ministros na cerimônia do lavabo. Vem do latim “manus” = mãos.

MissalLivro que contem os ritos da Missa e todas as orações necessárias para se celebrar a eucaristia.

LecionárioLivro que contém as leituras e salmos da Sagrada Escritura, organizados de acordo com a liturgia do ano litúrgico. São três: dominical (leituras dos domingos); semanal (leituras dos dias de semana) e santoral (leituras para festas de santos).

CrucifixoEm todo lugar onde se celebra a Eucaristia, deve haver um crucifixo para lembrar que a Ceia do Senhor é inseparável do Seu sacrifício Redentor na cruz.

VelasEstão presentes para nos lembrar a fé que reúne e a presença de Cristo, luz do mundo. Lembra a luz recebida no batismo.

FloresMais presentes aos domingos e demais celebrações festiva para nos recordar a alegria de se reunir ao redor da mesa do Senhor. Não devem ser colocadas sobre o altar, mas ao lado. Nunca devem ser colocadas sobre o sacrário.

AltarÉ o centro da celebração e da Igreja. Representa o próprio Cristo que se tornou altar e cordeiro. Lembra a mesa da Ceia do senhor, também lembra a cruz de Jesus, que foi como altar onde o Senhor ofereceu o sacrifício da própria vida. Deve estar em destaque na Igreja e ser tratado sempre com muito respeito. Antes, sempre se comparava o altar com o calvário, onde Cristo nos redimiu e nos salvou, e assim continua fazendo pela renovação de seu sacrifício na celebração da Missa.