Referenciais Paroquiais para o Sínodo

Arquidiocese de Passo Fundo – Referenciais Paroquiais para o Sínodo

Texto em elaboração

“O caminho da Sinodalidade é precisamente o que Deus espera da Igreja no terceiro milênio”.

                                                 Papa Francisco

I – O que fazer? 

  1. Rezar pelo Sínodo.
  2. Organizar e preparar a Equipe de Escuta.
  3. Organizar o processo de Escutas.
  4. Fazer a síntese de cada escuta.
  5. Fazer a síntese paroquial da escuta.
  6. Divulgar nos meios de comunicação e nas redes sociais todo o processo de escuta.

II- Como fazer? 

  1. Rezar pessoalmente pelo bom andamento do Sínodo e para desempenhar bem a sua missão. Não esquecer da oração Adsumus, Sancte Spiritus
Oração pelo Sínodo: Adsumus Sancte Spiritus 

Espírito Santo!
Eis-nos aqui, diante de Vós, reunidos em vosso Nome.
Nosso defensor,
vinde,
ficai connosco;
tomai posse do nosso coração.
Mostrai-nos o destino,
caminhai connosco,
conservando-nos em comunhão.
Ai de nós, pecadores, se cairmos na confusão!
Não o permitais.
Iluminai a nossa ignorância,
libertai-nos da parcialidade.
Senhor que dais a vida,
em Vós, a unidade,
convosco, a verdade e a justiça;
em marcha até à vida sem ocaso: nós vos suplicamos.
Vós que soprais onde e como desejais,
a todos dando a possibilidade de passar, com Jesus, ao Pai: nós vos adoramos,
agora e sempre. Amen.

  1. Reler o Documento de Trabalho, o Vademecum e o Discurso do Papa Francisco na Abertura do Sínodo, imaginando atividades práticas que possas realizar.
  2. Escolher a Equipe de Escuta (10 pessoas ou conforme a necessidade) até 1º de dezembro de 2021. Faça isto junto com o Pároco e o Coordenador(a) do Conselho Paroquial de Pastoral
  3. Durante o mês de dezembro, realizar um ou dois encontros de formação com a Equipe de Escuta. Nestes encontros é importante estudarem o Documento de Trabalho, o Vademecum e o Discurso do Papa Francisco. Podem fazer o estudo de modo criativo, contando também com a presença dos presbíteros, diáconos, coordenador(a) do CPP que atuam na Paróquia.
  4. É preciso que a equipe vá tomando cada vez mais consciência sobre o espírito, objetivos e atitudes do Processo Sinodal, tenha acesso a recursos relevantes, o Documento Preparatório, o Vademecum, o site do Sínodo <https://www.synod.va/it.html>e a página do Sínodo na Arquidiocese de Passo Fundo <https://www.arquidiocesedepassofundo.com.br/interatividade/noticias/sinodo2023>
  5. Se for possível, este estudo pode ser feito reunindo equipes de mais de uma Paróquia.
  6. Durante o mês de dezembro, se for possível, realizar um Encontro de Oração da Equipe de Escuta. Pode-se fazer a Leitura Orante da Bíblia. O texto sugerido é At 10 (veja Documento Preparatório nº 22 a 24). Nada impede que este encontro seja feito com a formação (cf. acima, nº 4).
  7. Nos estudos (cf. acima nº 4) é importante:

– compreender bem a questão fundamental (Documento Preparatório nº 22 e Vademecum nº 5.3).

Anunciando o Evangelho, uma Igreja sinodal “caminha em conjunto”: como é que este “caminhar juntos” se realiza hoje na vossa Igreja particular? Que passos o Espírito nos convida a dar para crescermos no nosso “caminhar juntos”?

– compreender bem as três questões que ajudam a responder a questão fundamental.

Para dar uma resposta, sois convidados a:

  1. perguntar-vos que experiências da vossa Igreja particular a interrogação fundamental vos traz à mente?
  2. reler estas experiências mais profundamente: que alegrias proporcionaram? Que dificuldades e obstáculos encontraram? Que feridas fizeram emergir? Que intuições suscitaram?
  3. colher os frutos para compartilhar: onde, nestas experiências, ressoa a voz do Espírito? O que ela nos pede? Quais são os pontos a confirmar, as perspectivas de mudança, os passos a dar? Onde alcançamos um consenso? Que caminhos se abrem para a nossa Igreja particular?

– dedicar-se ao estudo dos dez núcleos temáticos (Ver Documento Preparatório nº 30 e Vademecum nº 5.3)

– lembrar que as questões se referem ao estilo, organização e estruturas da Igreja…

– ter presente as atitudes necessárias para participar dos grupos de escutas (veja Vademecum 2.3). Depois, durante o período das escutas, estas atitudes podem ser lidas, encenadas ou transformadas em oração no início dos encontros de escutas.

– ter presente as armadilhas e as tentações que podem acontecer ao longo do processo (Vademecum nº 2.3). Procure evitar ao máximo!

9. Nos encontros de formação (cf. acima, nº 4), a Equipe de Escuta organiza, de modo criativo, como fará a escuta nos grupos. Esta acontecerá depois dos estudos de formação e vai até 15 de junho: “(…) este Sínodo não só espera respostas que possam auxiliar a Assembleia do Sínodo dos Bispos que se realizará em Roma em outubro de 2023, mas também deseja promover e desenvolver a prática e a experiência de ser sinodal no decorrer do processo e no futuro avançando” (cf. Vademecum, 3.1 e 5).

10. Procurem ouvir muitos grupos promovendo a participação máxima, envolvendo o maior número possível de pessoas, especialmente aquelas das periferias que são frequentemente excluídas e esquecidas. Em tudo isto, respeitando as normas sanitárias, pois estamos em tempo de covid-19… (cf. Vademecum nº 1.5).

11. Escutem todos os grupos eclesiais (CPP, CAE, pastorais, serviços, movimentos, equipes…).

12. Escutem às comunidades (batizados e batizadas). Procurem não excluir ninguém. O Vademecum pede para ouvir mulheres, deficientes, refugiados, migrantes, idosos, pessoas que vivem na pobreza, católicos que raramente ou nunca praticam sua fé, etc. Também devem ser encontrados meios criativos a fim de envolver crianças e jovens (Vademecum nº 2.1).

13. Se possível, escutem grupos de outras Igrejas ou de outras tradições religiosas…

14. Escutem grupos ligados aos pobres (se houver na paróquia). Escutem grupos populares tais como: Movimento das Mulheres, Grupos Ecológicos, Movimento Indígena, Grupo de Negros, Assistência Social, Conselhos Paritários, ONGs, Sindicatos, Cooperativas…

15. Ajudem as pessoas a falar. Pode ser uma conversa coloquial. Todos falam, todos escutam. Não precisa buscar consensos. As ideias podem se complementar. Pede-se, no entanto, que se fique no espírito sinodal e na questão fundamental.

16. Os membros da Equipe de Escuta ouçam bastante e falem somente o necessário. Sua missão é possibilitar a fala do grupo de escuta! Se for possível, anotem alguns aspectos para, depois, fazer a síntese.

17. Após a conversa, em casa, podem fazer uma síntese.

18. Importante que a síntese seja ampla, incluindo as críticas e as opiniões diversas, inclusive das minorias. Além disto, fazer uma apreciação pessoal de como foi o encontro.

19. Fazer a Síntese Paroquial (até 24 de junho). Atenção: a síntese não é um resumo do que foi dito, mas um ato de discernimento que será enviado à Arquidiocese. (Depois, a Equipe Arquidiocesana para o Sínodo fará a Síntese de toda a Arquidiocese. No caso da Arquidiocese de Passo Fundo, este material também servirá para a elaboração do 18º Plano da Ação Evangelizadora).

20. Na Síntese Paroquial é importante anotar: a) tendências e pontos de convergências; b) pontos que inspiram “um ponto de vista original e abrem um novo horizonte” (cf. Vademecum nº 4.1); c) dar especial atenção às vozes que geralmente não são ouvidas; d) fazer um feedback geral do processo: experiências positivas, negativas e desafiadoras; atitudes dos participantes; alegrias e os desafios do empenho realizado…

21. Pode-se fazer uma Celebração para finalizar o Processo de Escuta realizado na Paróquia.

22. Divulgar todo o processo nos meios de comunicação social. Pode-se usar as redes sociais. Inclusive, uma pessoa da Equipe de Escuta pode se responsabilizar pela divulgação.

23. No caso da divulgação de fotos e nomes é preciso pedir autorização dos envolvidos, respeitando a lei de proteção de dados… O objetivo da divulgação é informar e formar na perspectiva do Sínodo. Neste sentido, poderá ajudar as pessoas a se interessarem mais pelo próprio Sínodo…

24. A Pessoa Referencial da Paróquia acompanhe o que é publicado no Grupo de WhatsApp “Referenciais Sínodo”. Quando necessário, repasse para a Equipe de Escuta, lideranças, grupos e/ou rede sociais. O objetivo do Grupo de WhatsApp é favorecer o “caminhar juntos” na Arquidiocese de Passo Fundo e com toda a Igreja.

25. A Pessoa Referencial também será convidada para participar da Celebração de Encerramento da Fase Arquidiocesana do Sínodo que acontecerá, provavelmente, em Passo Fundo (julho 2021).

26. Se necessário, no próximo ano podemos fazer mais uma reunião online.

27. Se precisarem, podem entrar em contato com o telefone/WhatsApp (54) 30459225.

III- Como viver este período? 

  1. Estar aberto às surpresas do “caminhar juntos”…
  2. Converter-se à Sinodalidade.
  3. Querer e buscar mais “qualidade eclesial”. Por isso, é importante ter presente os objetivos do processo sinodal…
  4. Fazer memória do modo como o Espírito orientou o caminho da Igreja ao longo da história e como hoje nos chama a ser, juntos, testemunhas do amor de Deus. Por isso, durante o processo sinodal, é muito importante ouvir o que o Espírito Santo está a nos dizer neste contexto social e eclesial…
  5. Viver um processo eclesial participativo e inclusivo, que ofereça a cada um – de maneira particular àqueles que, por vários motivos, se encontram à margem – a oportunidade de se expressar e de ser ouvido, a fim de contribuir para a construção do Povo de Deus.
  6. Reconhecer e apreciar a riqueza e a variedade dos dons e dos carismas que o Espírito concede em liberdade, para o bem da comunidade e em benefício de toda a família humana.
  7. Experimentar formas participativas de exercer a responsabilidade no anúncio do Evangelho e no compromisso para construir um mundo mais belo e mais habitável.
  8. Examinar como são vividos na Igreja a responsabilidade e o poder, e as estruturas mediante as quais são geridos, destacando e procurando converter preconceitos e práticas distorcidas que não estão enraizadas no Evangelho.
  9. Credenciar a comunidade cristã como sujeito credível e parceiro fiável em percursos de diálogo social, cura, reconciliação, inclusão e participação, reconstrução da democracia, promoção da fraternidade e da amizade social.
  10. Regenerar as relações entre os membros das comunidades cristãs, assim como entre as comunidades e os demais grupos sociais, por exemplo, comunidades de crentes de outras confissões e religiões, organizações da sociedade civil, movimentos populares, etc.
  11. Favorecer a valorização e a apropriação dos frutos das recentes experiências sinodais nos planos universal, regional, nacional e local, como por exemplo, as experiências da Assembleia Eclesial Latino Americana e Caribenha, as Rodas de Conversas da Semana Social Brasileira, as Reuniões das Áreas Pastorais, a elaboração do Novo Diretório da Arquidiocese de Passo Fundo, a experiência dos Conselhos Paroquiais de Pastoral, etc.
  12. Acompanhar o desenvolvimento da Fase Continental (setembro de 2022 a março de 2023) e a Fase da Igreja Universal (outubro de 2023) do Sínodo.

 

Equipe Arquidiocesana para dinamizar o Sínodo

Arcebispo: Dom Rodolfo Luís Weber

Pessoa referencial: Pe. Ivanir Antonio Rampon (Coor. Arq. de Pastoral)

  1. Amanda – Pascom
  2. Eberson Fontana – Pastoral Presbiteral
  3. Diác. Djair Varela – Coordenação do Conselho Arquidiocesano dos Diáconos
  4. Ivete Costela – Núcleo da CRB – Arquidiocese de Passo Fundo
  5. Elizabete Gambatto – Representante da Comissão Arquidiocesana do Laicato (em formação)
  6. Daniel Rodrigo Feltes – Articulador das Pastorais Sociais
  7. Mirtes Santina – Animação Bíblico Catequética
  8. Tiago Guimaraes – Um professor do Itepa Faculdades (Arquidiocese de Passo Fundo).

 

Informações

Paroquia Bom Jesus

Nenhum Comentário

Deixe uma resposta